Add to Collection
Tools Used

Tools

Adobe After Effects

View Gallery

Adobe Flash Professional

View Gallery

About

About

Direção Paralela trabalha a interatividade entre vídeos e músicas através de um clipe musical, permitindo que o usuário seja co-autor de uma comp… Read More
Direção Paralela trabalha a interatividade entre vídeos e músicas através de um clipe musical, permitindo que o usuário seja co-autor de uma composição musical e visual. O projeto final funcionará em três etapas básicas: Primeira, ao acessar o site que dará suporte ao projeto, o interator terá acesso a algumas letras de músicas e escolherá uma; Segunda, tendo escolhido a letra, haverá três opções de gêneros musicais para musicar a letra escolhida. Ele terá que optar por uma delas para que o clipe musical seja iniciado; Terceira, tendo escolhido a letra e o estilo musical que compõem o clipe, o mesmo será iniciado permitindo que ele tenha sua composição visual e instrumental alterada através de elementos distribuídos na mesma página em que o vídeo ou animação estará sendo executada. No momento interativo do projeto, quando o clipe musical é iniciado, o público terá possibilidade de escolher alguns instrumentos que estão relacionados a elementos visuais presentes no videoclipe. Esses instrumentos podem ser inseridos ou excluídos em qualquer momento da música, alterando assim as imagens do vídeo. Read Less
Published:
Projeto Direção Paralela
Web Clipe Arte 
Logotipo Direção Paralela - 3D max
Flyer para divulgação do site
Versão Samba:
Para a versão em samba da música “Das coisas quenão entendo” criou-se um clipe tipográfico que traz influências cubistas, tantoda fase analítica quanto da sintética. Como referência ao cubismo tem-se o usode ilustrações geométricas, colagens de jornal e a escolha de cores pastéis,entre elas o marrom e o amarelo. Inspiração Juan Gris
Cena do clipe

Clipe musical cubista da musica "Das coisas que não entendo"
Composição: Gui Cardoso e Meyson
Criação: Studio Seed'Sign
Versão Pop Rock
Parao desenvolvimento do clipe na versão Pop Rock, utilizou-se o surrealismo comoreferência visual.
Oclipe trabalha movimentos de câmera, transmitindo ao usuário a sensação defazer um tour por uma casasurrealista. O vídeo “Into the Wild”[1],de Jurjen Versteegfoi uma das referências que nortearam a criação do clipe. Os cenários foramconstruídos com montagens de fotos, trabalhando-se cores fortes, texturas nasparedes e pisos de cerâmica, de madeira e quadriculado.

[1] Retirado do site http://www.watchthetitles.com/articles/00141-Into_The_Wild_unofficial- acesso em 30/10/2010
Cena do clipe
Clipe musical Surrealista "Das coisas que nao entendo" versão Pop Rock,
Composição Gui Cardoso e Meyson.
Criação: Studio Seed'Sign