Add to Collection
About

About

Esta obra hipermidiática experimental é uma cibernarrativa que estabelece contato com recursos e ferramentas online, para ter sua lógica compleme… Read More
Esta obra hipermidiática experimental é uma cibernarrativa que estabelece contato com recursos e ferramentas online, para ter sua lógica complementada. Contudo ela foi idealizada de modo que possa ser aplicada de forma mercadológica, sendo um protótipo de revista virtual de entretenimento. O projeto Cibrid.City é um protótipo de uma seção de entretenimento de uma revista virtual que incentivará o leitor/usuário a ler, na íntegra, a matéria principal da revista, pois só assim terá as informações necessárias para prosseguir com a história. Nela as personagens, que se chamam Lissa e Murilo Feusto, seriam protagonistas de tramas complicadas e teriam que resolver problemas ligados a alguma área da ciência, já que estão sempre imersos num ambiente de realidade virtual que permite simulações infinitas. No caso da temática abordada, o projeto poderia ser uma seção de uma revista como a “Mundo Estranho” ou “Super Interessante”, na qual a matéria principal abordaria a neurobiologia dos sonhos, que é uma parte da ciência que estuda o comportamento humano durante o sono. Read Less
Published:
Projeto Cibrid.City
Uma obra hipermidiática experimental de cibernarrativa em rede.
O projeto Cibrid.City é uma obra hipermidiática experimental que surgiu do interesse de querer explorar as possibilidades de construção narrativa no ciberespaço.

Atualmente a hipermídia é uma linguagem que ainda não tem traços definidores para sua construção, e seus parâmetros de segmentação e de navegação ainda não foram bem definidos para o hipertexto em geral, quanto mais para as narrativas. A ficção hipertextual está ainda esperando o desenvolvimento de novas formas de organização que permitam ao leitor/interator explorar este meio enciclopédico. 

Com o desenvolvimento do projeto Cibrid.City pretende-se analisar experimentações de construção de cibernarrativas ao utilizar os nós do ciberespaço e o hipertexto, para uma navegação linear (com começo, meio e fim) de modo que os recursos disponíveis na rede sejam revalorizados, incentivando o leitor/usuário a pesquisar o contexto da história. É uma obra hipermidiática que busca explorar apenas alguns dos muitos aspectos possíveis desta linguagem.
 
Esta obra, contudo, foi idealizada de modo que possa ser aplicada de forma mercadológica, sendo um protótipo de revista virtual de entretenimento.
O projeto Cibrid.City é um protótipo de uma seção de entretenimento de uma revista virtual que incentivará o leitor/usuário a ler, na íntegra, a matéria principal da revista, pois só assim terá as informações necessárias para prosseguir com a história. Nela as personagens, que se chamam Lissa e Murilo Feusto, seriam protagonistas de tramas complicadas e teriam que resolver problemas ligados a alguma área da ciência, já que estão sempre imersos num ambiente de realidade virtual que permite simulações infinitas. No caso da temática abordada, o projeto poderia ser uma seção de uma revista como a “Mundo Estranho” ou “Super Interessante”, na qual a matéria principal abordaria a neurobiologia dos sonhos, que é uma parte da ciência que estuda o comportamento humano durante o sono.

Para mais informações sobre o projeto visite o site: http://www.cibridcity.zz.vc
Para baixar o protótipo SWF (ainda em Beta) clique aqui.
Para baixar o Relatório completo do projeto clique aqui.
Para visualizar a apresentação do projeto clique aqui.
Menu animado da introdução.
Tela das cenas iniciais demonstrando a navegação da história.
Tela das cenas de "ação" demonstrando a navegação da história.
Visualização inicial da cidade virtual Cibrid.City
Testes de ambientação da cidade virtual Cibrid.City
As personagens na cidade
Model Sheet Lissa
Model Sheet Murfeu
Tela com as cenas do clímax da história: O que ocasionou o erro?
Vídeo que elucida ao leitor "O que ocasionou o erro?".
Imagens corrompidas simbolizam a confusão da mente de Murilo Feusto, personagem de Cibrid.City, que precisa descobrir o que ocasionou um erro fatal no sistema.
Música: Reloaded by Baskerville

Screen do vídeo
Direção de Arte: Karina Martins Monteiro e Gabriela Gomes
Roteiro e Conceituação: Karina Martins Monteiro
Ilustrações: Gabriela Gomes
Programação: Rafael Correa e Andrecio Mesquita