• Madre Gaya é uma empresa fictícia, que trabalha com produtos de vestuário feitos com materiais e estampas eco-sustentáveis, cujo público são adultos jovens da classe média alta. O conceito que a marca deveria passar era de algo que remetesse à autossustentabilidade, porém com uma certa sensação de cuidado de mãe, já que Gaia, na mitologia grega, era a deusa da Terra, também conhecida como Mãe Terra. Sendo assim, as palavras chave foram VITALIDADE, CICLO/AUTOSSUSTENTABILIDADE e MISTICISMO. A partir daí, foi feita uma pesquisa de imagens, que levou aos primeiros esboços.
  • Nos testes, percebeu-se que as mãos, além de serem elementos comuns, ficariam prejudicadas quando a marca fosse reduzida. Como a empresa trabalha com vestuário, a marca poderia ser aplicada em proporções muito pequenas, como etiquetas, e as mãos poderiam não ser aplicáveis devido ao fato de serem bastante detalhadas. Assim, buscou-se trazer os conceitos de ciclo e proteção através do alongamento de duas letras, que conferiram à marca o movimento do ciclo ao mesmo tempo que remeteu à proteção, devido a essas letras estarem como que um envoltório para outras.