Add to Collection
Tools Used

Tools

About

About

Interpretação, através de fotomontagem, do texto "A Obra de Arte na Era de sua reprodutibilidade técnica"de Walter Benjamin Como base para o des… Read More
Interpretação, através de fotomontagem, do texto "A Obra de Arte na Era de sua reprodutibilidade técnica"de Walter Benjamin Como base para o desenvolvimento da fotomontagem, foquei na questão indivíduo e coletividade, um dos temas abordados no texto. Segundo o autor a obra de arte é objeto de uma recepção individual e o filme é considerado uma obra da coletividade: "Uma sala vazia pode ser agradável numa galeria de quadros, mas é indesejável no Panorama do Imperador e inconcebível no cinema. E, no entanto, cada espectador, nesse panorama dispunha de sua pópria sequência de imagens, como nos salões de pintura. Nisso, precisamente, fica visível a dialética desse processo: imediatamente antes que a contemplação das imagens experimentasse com o advento do cinema uma guinada decisiva, tornando-se coletiva, o princípio da contemplação individual se afirma, pela última vez, com uma força inexcedível, como outrora, no santuário, a contemplação pelo sacerdote da imagem divina." Dessa forma, na imagem produzida, tive como intento demonstrar a transição da pintura ao cinema, passando pela fotografia, e paralelamente a do individual ao coletivo, através do movimento vertical descendente. Trabalho individual desenvolvido no 4o. semestre do curso de design gráfico para a matéria de fotografia. Read Less
Published:
Interpretação, através de fotomontagem, do texto "A Obra de Arte na Era de sua Reprodutibilidade Técnica"de Walter Benjamin

Como base para o desenvolvimento da fotomontagem, foquei na questão indivíduo e coletividade, um dos temas abordados no texto. Segundo o autor a obra de arte é objeto de uma recepção individual e o filme é considerado uma obra da coletividade: "Uma sala vazia pode ser agradável numa galeria de quadros, mas é indesejável no Panorama do Imperador e inconcebível no cinema. E, no entanto, cada espectador, nesse panorama dispunha de sua pópria sequência de imagens, como nos salões de pintura. Nisso, precisamente, fica visível a dialética desse processo: imediatamente antes que a contemplação das imagens experimentasse com o advento do cinema uma guinada decisiva, tornando-se coletiva, o princípio da contemplação individual se afirma, pela última vez, com uma força inexcedível, como outrora, no santuário, a contemplação pelo sacerdote da imagem divina." Dessa forma, na imagem produzida, tive como intento demonstrar a transição da pintura ao cinema, passando pela fotografia, e paralelamente a do individual ao coletivo, através do movimento vertical descendente.
simbologia das imagens utilizadas.
impressão em papel color plus metálico aspen 180g