EDITORIAL


Revista Piriah

O projeto da Revista Piriah inicia com a metodologia de composição da revista. Participamos de uma série de processos para definir a curadoria dos textos e artistas que seriam escolhidos para as primeiras duas edições da revista. A partir daí, abrimos um edital público para selecionar e criamos um fluxo de navegação desse conteúdo. Um conteúdo diverso, cheio de poesia, pesquisa e proposições. Uma revista produzida pelo Governo da Paraíba, escrita pelo povo da Paraíba. Essa identidade própria, demandava um nome que sugerisse um caminho, as mil possibilidades. Piriah, palavra que no dialeto Calon, dos ciganos de Sousa - cidade localizada na região do Alto Sertão da Paraíba - significa “caminhando”.

“Na verdade, é uma revista que foge, um pouco, aos conteúdos das revistas institucionais. Não se trata de uma revista de prestação de contas das atividades da Secult, mas uma revista de provocações estéticas e provocações críticas acerca das políticas culturais em vigência no País. A importância para a Paraíba é estarmos na vanguarda desse debate no Brasil. A princípio, pouco as gestões puxam para si essa responsabilidade. Ela vai percorrer o País levando o nome da Paraíba”
— Lau Siqueira, Secretário de Cultura

O projeto visual experimenta com diversas linguagens, interagindo os trabalhos artísticos com os textos. A proposta visa manter um conceito consistente nas duas edições, utilizando uma grid simples para aplicação tipográfica e a disposição de imagens. O resultado final é uma revista com fluxo dinâmico de leitura, onde cada página te traz uma novidade, cada conteúdo é único.

As duas edições estão disponíveis para leitura online, no site da Secretária de Cultura.


2015/2016




Revista Piriah
57
449
5
Published:

Revista Piriah

57
449
5
Published:

Tools