O ponto de partido do projeto, foi um briefing bem "amplo" e "complexo": "Estamos montando uma loja vintage, que irá vender bijuterias, roupas e acessórios, aqui em Macaíba (RN) e precisamos de um logotipo e identidade visual. Já escolhemos o nome, será "Dona Criola." Iniciei a execução do projeto, buscando entender todos o significados culturais e históricos do termo CRIOLO, para depois fazer uma relação com o contexto VINTAGE e tentar linká-los de alguma maneira.
_Versão final da marca
_Inspiração (Ponto de partida)
_Sketchs
A busca por elementos orgânicos e assimétricos nos esboços.
Símbolo (Referências Semânticas)
A pesquisa gerou uma avalanche de referências visuais, gerando literalmente um liquidificador de informações. VINTAGE + ABORÍGENE + NATIVO + CULTURA AFRO BRASILEIRA + INDÍGENA + MODA.
Alguns termos que podem especificar o caminho semântico para a criação do símbolo.
Tipografia (Referências Semânticas)
Para fazer um link entre o símbolo e o logotipo, tendo em vista que a mesma será instalada no nordeste, e reforçando o conceito de NATIVO do termo CRIOLA, a escolha mais viável era a de uma tipografia vernacular, e de preferência de um brasileiro. Fiquei em dúvida entre a Brasilêro de Crystian Cruz e a 1 Rial de Fátima Filizola. O uso dessa tipografia, além de agregar todo esse valor cultural, também é um diferencial com seus concorrentes, que em sua grande maioria, utilizam tipografia manuscritas. A utilização da tipografia dá ainda mais originalidade a marca.
_Paleta de Cores
A paleta de cores partiu do contexto vintage, pelo menos nas pesquisas que fiz, havia muita presença de rosa e cores similares no contexto dos anos 50 e 60. Por uma questão econômica, a utilização de preto e magenta é viável, é uma "ponte" entre o passado e o contemporâneo.
_Tipografia
_Construção
_Variação de aplicações
_Stationery
_Divulgação (Mídia)