PT
Identidade visual, sinalização, catálogo e peças impressas de mediação com o público da exposição Frestas – Trienal Sesc de Artes.

EN
Visual identity, signage, catalog and printed material of the exhibition Frestas - Triennial Sesc of Arts.


PT
Esta edição de Frestas associa o nome do evento à noção de interstício: um espaço-entre cheio de sensibilidade e potência criativa transformadora, onde a ambiguidade e a indefinição de conceitos, formas e modelos é explorada de modo poético e crítico. 

Projetos editoriais de exposições costumam partir da missão de guardar a memória do que se passou no período em que a mostra estava aberta ao público. Mais do que isso, podem contemplar conteúdos inéditos e experimentações de linguagem editorial e gráfica relacionados aos conceitos da mostra.  Para articular para o futuro leitor parte do que foi a segunda edição da Trienal, a curadoria editorial concebeu um livro com o intuito de registrar, refletir e experimentar Frestas.

Os caminhos criados pela curadoria no espaço norteiam a paginação, de modo a emular a experiência expositiva. O primeiro elemento narrativo deste espaço é o ensaio fotográfico de Everton Ballardin, que contempla de planos abertos a detalhes da mostra e contextualiza sequências de verbetes introdutórios às obras das e dos artistas participantes e seus respectivos trabalhos.

EN
This edition of Frestas associates the name of the event with the notion of interstice: a space between sensibility and transformative creative power, where the ambiguity and vagueness of concepts, forms and models is explored in a poetic and critical way.

Editorial projects for exhibitions usually start with the mission of keeping the memory of what happened in the period when the exhibition was open to the public. More than that, they may include unpublished content and editorial and graphic language experiments related to the concepts of the show. To articulate for the future reader part of what was the second edition of the Triennale, the editorial curator designed a book to record, reflect and experiment with the Frestas.

The paths created by curatorship in space guide pagination in order to emulate the expository experience. The first narrative element of this space is the photographic essay by Everton Ballardin, which contemplates plans open to detail of the exhibition and contextualizes sequences of introductory entries to the works of the participating artists and their respective works.


PT
Ao invés de ser refilada em três faces, a encadernação do livro manteve sua parte de baixo sem corte.  Isso criou espaços internos entre as páginas, frestas da estrutura editorial. Usando este recurso, as e os artistas da Trienal puderam intervir livremente no avesso dos verbetes dedicados às suas obras. “Frestas das frestas” tornou-se um convite à autoedição, um campo de experimentos afeito a buscas, abstenções, eventuais desacordos e ao paralelismo entre discursos institucionais e pessoais. A estrutura da página não refilada apresenta uma dificuldade em acessar esses conteúdos, o que convoca os leitores a comprometer-se de diferentes maneiras: alguns podem priorizar um uso otimizado do livro, sem abrir ou abrindo apenas esporadicamente as páginas internas. Outros podem dedicar-se a abri-las, até rasgar a face não refilada e assim garantir uma visualização completa do que ali se imprimiu.

EN
Rather than being trimmed on three sides, the binding left the bottom part unopended creating  interstice between pages, chinks in the editorial structure. Using this device, the Triennial artists were able to freely intervene inside out the entries dedicated to their works. “Chinks in the Chinks” has become an invitation to self-editing, a field of experimentation aimed at seeking, abstaining, possible disagreements and parallelism between institutional and personal discourses. The structure of the unrefined page presents a difficulty in accessing this content, prompting readers to compromise in different ways: some may prioritize optimal use of the book without opening or just sporadically opening the internal pages. Others may devote themselves to opening them until they tear the unrefined face and thus ensure a complete view of what has been printed there.


PROJETO GRÁFICO 
Elisa von Randow e Julia Masagão

ASSISTENTES
Beatriz Dórea e Matheus Sakita

FOTOGRAFIA DA EXPOSIÇÃO
Everton Balardin

FOTOGRAFIA PEÇAS GRAFICAS
Rodrigo Lins
____

Obrigada!
Thank you!
→ @allesblau.studio

Frestas
505
3,370
16
Published:

Frestas

Visual identity, signage, catalog and printed material of the exhibition Frestas - Triennial Sesc of Arts.
505
3,370
16
Published:

Tools