• Add to Collection
  • Tools Used
  • About

    About

    A infância dos dias é o livro de estreia de Laís Barros Martins e trata sobre a infância que habita em cada um de nós.
    Published:
T E X T O  H A N N A H  U E S U G I
I M A G E N S  H A N N A H  U E S U G I  ,  P E D R O  B O T T O N  &  J O Ã O  F Á B I O  M A T H E A S I


A INFÂNCIA DOS DIAS é o livro de estreia de Laís Barros Martins e trata sobre a infância que habita em cada um de nós.
O  L I V R O


Após a nossa primeira experiência de trabalho com a editora Laranja Original no projeto da Coleção Poetas Essenciais, nós fomos convidados pelos editores para fazer o livro de estreia da Laís Barros Martins, jornalista e escritora.

Eles nos chamaram para uma reunião de apresentação com a autora, que nos passou mais ou menos o que ela esperava para este seu primeiro livro: delicadeza, minimalismo, tons leves e sutileza para tratar do tema infância sem ser infantil. 

Ao lermos o original, também identificamos facilmente esses pedidos da Laís e acrescentamos a eles uma certa melancolia da saudade, tardes amenas, dias chuvosos, e no título de um dos contos — “A geometria da chuva e outras questões metafísicas” — nos inspiramos para criar uma capa ilustrada que não fosse muito figurativa.
O  P R O J E T O  G R Á F I C O


O projeto buscou então desenhar na capa um céu diurno, de tom azul bem clarinho e suave, com uma chuva fina e geométrica que escorre por todo o livro.

O título e o nome da autora aparecem na vertical, com as letras na fonte Graphik desenhando as palavras de cima para baixo como gotas de chuva. O alinhamento delas na página acaba por lembrar de uma brincadeira de criança e forma na horizontal meio sem querer a palavra “anos”, que também remete ao tema do livro.

Os textos da quarta-capa e das orelhas flutuam no centro delas, interrompendo a chuva que corre verticalmente.

O desenho da chuva, que à primeira vista parece aleatório, surge no entanto como resultado do próprio conteúdo do livro já que cada linha vertical representa anonimamente um dos textos que compõem A infância dos dias.
Isso porque no miolo todos os textos terminam alinhados com a margem inferior. Ou seja, após cada final de conto, não há um espaço em branco até que o próximo se inicie na página seguinte como seria mais comum nos livros de literatura. 

Aqui, propomos o inverso: que o espaço em branco venha antes do início de cada texto, dando espaço para que uma linha de chuva desça da borda superior do papel até o título do conto.

A dimensão dessa linha, portanto, depende do número de linhas que cada texto contém e de como ele se acomoda nas páginas, sendo bastante variável ao longo do livro.
No índice que vem ao final do livro, vemos então finalmente cada título com a sua dimensão de linha correspondente, sendo esse mesmo ritmo da chuva o desenho transferido para a capa e para a folha de rosto.
Q U E S T Õ E S  D E  P R O D U Ç Ã O


Os livros da Laranja normalmente têm baixa tiragem e, portanto, é dada a preferência à impressão digital. Neste caso, no entanto, nós fomos mais enfáticos quanto à necessidade de outros métodos que garantissem a materialidade que estávamos buscando para o projeto. 

Para a capa, optamos por um papel colorido na massa que tivesse um toque delicado sem revestimento. Escolhemos o Color Plus Santorini que, das poucas opções com gramatura suficiente para ser capa, nos pareceu o tom mais adequado ao clima que estávamos buscando. 

A cor, porém, não deu muito contraste com a impressão branca do texto e das linhas, que acabaram sendo impressos em serigrafia, com tinta brilhante e relevo.

Para o miolo em offset, escolhemos um pantone um pouco mais escuro do que seria o equivalente ao tom do papel da capa a fim de garantir boa leitura mesmo nos textos mais extensos, como o do posfácio. O texto propriamente dito, no entanto, foi impresso em preto para ser mais confortável aos olhos ao longo das páginas. O papel é similar ao pólen, de tom amarelado.
F I C H A  T É C N I C A


EDITORA LARANJA ORIGINAL   TEXTO LAÍS BARROS MARTINS   EDIÇÃO CLARA BACCARIN & FILIPE MOREAU  PROJETO GRÁFICO HANNAH UESUGI & PEDRO BOTTON   PRODUÇÃO EXECUTIVA GABRIEL MAYOR   FONTES GRAPHIK E GUARDIAN EGYPTIAN TEXT   FORMATO FECHADO 12X18CM   IMPRESSÃO BARTIRA   MÉTODOS SERIGRAFIA 1XO COR E OFFSET 2X2 CORES   PAPÉIS COLOR PLUS SANTORINI 240G/M² E LUX CREAM 90G/M²   PÁGINAS 192   TIRAGEM 500 EXEMPLARES   ANO 2017