Intervalos Dispersos / scattered intervals,2008
Intervalos Dispersos | scattered intervals, 2008
Instalação-Acontecimento | Installation-happening
80 velas em parafina, arame zincado, fogo, tela
80 candles in paraffin, galvanized wire, fire, canvas
Várias dimensões
several dimensions
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
A vela é fruto de um longo processo de aperfeiçoamento da especificidade que o fogo ofereceu. Uma das primeiras referências a este objecto surge no Egipto, datada do ano 3.000 a. C; tinha a forma de concha. Genericamente, era fabricada a partir de gordura animal (sebo), sendo o seu pavio constituído por fibras vegetais.
A vela, para além de surgir como ferramenta funcional com objectivos muito concretos, encarnou desde muito cedo uma dimensão mística, fruto em certa medida do fascínio que o homem possui desde tempos imemoriais pelo fogo, fazendo com que a vela se associasse, ao longo dos tempos, a diversos significados simbólicos, que variam de acordo com a religião, a cultura, o país e as crenças pessoais. Tendo em consideração estas diversas características simbólicas, onde a vela se encontra normalmente ―embebida, pretendeu-se desvincular dos pressupostos desta prática escultórica, qualquer dimensão simbólica que se organizasse em função das crenças religiosas e respectivas práticas ritualistas. A vela é aqui entendida, tal
como o dicionário a define, enquanto ― peça cilíndrica de cera ou de outra substância gordurosa e combustível com uma torcida ao centro a todo o comprimento que serve para dar luz.
 
in, Hélder Folgado, As Estruturas do Imprivisível a partir de um centro de projecção, Fundo documental da Fbaup, 2009
Intervalos Dispersos / scattered intervals,2008
5
177
1
Published:

Intervalos Dispersos / scattered intervals,2008

5
177
1
Published:

Creative Fields