• Add to Collection
  • About

    About

    Projecto de Design de Comunicação. Junho 2011 A Communication Design project. June 2011
    Published:
É tudo a poder de lágrimas e m[ais]
Manifesto dos que não são apenas um retrato belo, forte, mas muito muito triste
Projecto editorial produzido à volta do conceito de panóptico e do arquivo fotográfico de doentes mentais do Hospital Miguel Bombarda em Lisboa na primeira década do século XX.

O trabalho parte do processo de dissimulação de uma fotografia.
As fotografias tiradas às fotografias existentes no arquivo do hospital, que por sua vez se encontram envoltas em plástico, por detrás de vidro e grades metálicas, representam uma metáfora de todas as camadas que me separam deles: os 100 anos de distância, uma lente (a do outro), um dedo que dispara (o do outro), papel químico, um saco de plástico, um vidro, uma grade de ferro, uma lente (a minha), um dedo que dispara (o meu) e uma certa incompreensão. 
Os desenhos cegos, por sua vez, pretendem conferir aos inquilinos mais do que aquilo que foi captado nos seus retratos, conferindo-lhes beleza, dar a cada um uma identidade, uma cor, torná-los felizes, disfarçar as camadas, suavizar as barreiras e amenizar o muro. 

__

Editorial project designed around the concept of panopticon and the photographic archive of the mentally ill patients of Hospital Miguel Bombarda in Lisbon of the first decade of the 21st century.

The work starts with a process of dissimulation of a photograph.
The photos taken to the existing photographs in the hospital's archive, which in turn are wrapped in plastic, behind glass doors protected with iron bars, represent a metaphor of all the layers that separate me from them: the 100 years apart, a lens ( someone's lens), a finger that shoots (someone's finger), chemical paper, a plastic bag, a glass, an iron bar, another lens (mine), another finger that shoots (mine) and a certain incomprehension.
The blind drawing, on the other hand, seeks to give to the residents more than what one can see in their portraits, giving them beauty, offering each one an identity of their own, a color, make them happy, disguising the layers, smoothing the barriers and softening the wall.