planta baixa & cardiogramas

Este trabalho apresenta o perfil de 4 estúdios de design localizados na cidade do Porto - Portugal e entrevista seus respectivos diretores de criação. A construção editorial busca apontar para o potencial que reside no cerne destes espaços para a construção de uma expressão gráfica. Traços que revelam o ser e o fazer do design, a realização intelectual e a expressão de uma ideia que permeia a cidade através das escolas, estúdios e ateliês. São eles receptáculos do mundo que os cerca e posteriormente ecoa, desenha, expressa.

D
elimitamos que a pesquisa apresentaria momentos distintos para cada estúdio, os quais foram visitados por dois dias:  — Uma visita fotografada para apresentar sua estrutura física, num recorte que procura entender suas rotinas e seu cotidiano. Este aspecto nomeamos planta baixa, uma referência ao mapeamento e percepção do que é mais racional dentro de cada estúdio. São as paredes, janelas, móveis, computadores, papéis, garrafas e tudo mais que compõe a materialidade desses espaços. Essa construção visual utiliza princípios técnicos, como escala e proporção. São esses parâmetros que posteriormente apontam uma solução para a delimitação do corte final de cada livro, matematicamente relacionados com as dimensões físicas dos prédios. Embora este não seja um desenho que use o rigor técnico da arquitetura, faz menção ao estilo e busca ser também um recorte imagético da memória do autor, ao apresentar um apanhado de tudo que se viu e se percebeu naquele momento. 2º — Apresentar as pessoas, os diretores criativos, os valores e sentimentos que cercam o trabalho de cada estúdio. Este aspecto nomeamos cardiogramas, uma alusão ao exame que verifica o que acontece no coração. Este segundo momento dentro de cada livro é composto por uma entrevista realizada com os diretores criativos/fundadores dos estúdios. Dentro desta dicotomia este é o lado que busca perceber o emocional, as questões, as inspirações, referências, histórias e processos. São as vozes que ecoam dentro de cada espaço, o coração que o faz, de certa forma, funcionar. Parte dessa captação está presente nas páginas de apresentação de cada espaço. Estão ali fragmentos impressos da própria voz gravada e transformada em gráfico.

Apresentamos então as pedras e o coração de cada um desses espaços, os quais são hoje uma referência quanto ao modo de pensar e sentir o design gráfico na cidade do Porto. Agradecemos aqui imensamente a colaboração dos estúdios que abriram suas portas e permitiram a realização deste trabalho: DSType, na pessoa de Dino Santos; Bolos Quentes, na pessoa de Sérgio Couto; White Studio, na pessoa do professor Eduardo Aires; o coletivo We Came From Space, na pessoa de João Martino e Miguel Almeida. Muito obrigado por suas vozes nessas páginas.


Blueprint & cardiograms
This work presents 4 design studios profiles located in the city of Porto - Portugal and interviews their respective creative directors. The editorial construction seeks observe the potential that lies at the heart of these spaces for a graphic expression construction. Traits that reveal the being and the doing of design, the intellectual achievement and expression of an idea that permeates the city through schools and studios. They are receptacles of the world that surrounds them and subsequently echoes, draws, expresses.

We delimit that the research would present different moments for each studio, visiteds for two days: 1nd - A photographed visit to present its physical structure, in a clipping that seeks to understand routines and daily life itself. This aspect we name BLUEPRINT, a reference to mapping and perception of what is more rational within each studio. In these moment they are the walls, windows, furniture, computers, papers, bottles and everything else that makes up the materiality of these spaces. This visual construction uses technical principles such as scale and proportion. It is these parameters that later point out a solution for the delimitation of the final cut of each book, mathematically related to the physical dimensions of the buildings. Although this drawing don't use a technical rigor of the architecture, it makes reference to the style and also seeks to be an imaginary cut of the author's memory, when presenting a collection of everything that was seen and was perceived at that moment. 2nd - Present the people, the creative directors, the values ​​and feelings that surround the work of each studio. This aspect we named CARDIOGRAMS, an allusion to the examination that verifies what happens in the heart. This second moment in each book is an interview with the creative directors / founders of the studios. Within this dichotomy, this is the side that seeks the emotional  perceive, the questions, the inspirations, references, stories and processes. It's the voices that echo within each space, the heart that makes it, in a way, work. Part of this abstraction is present in the presentation pages of each space. There are printed fragments of the recorded voice itself and transformed into graphics.

We present the stones and the heart of each one, reference spaces about graphic design in the city of Porto. We greatly appreciate the collaboration of the studios that opened their doors and allowed the realization of this work: DSType and Dino Santos; Bolos Quentes and Sérgio Couto; White Studio, and Professor Eduardo Aires; We Came From Space and João Martino and Miguel Almeida. Thank very much for your voices in this pages.


Planta Baixa & Cardiogramas
172 pages ~ 23,5 x 30 cm 
livro 01 ~ 12,5 x 18 cm — 24 pgs
livro 02 ~ 14,5 x 21 cm — 36 pgs
livro 03 ~ 18 x 23,5 cm — 40 pgs
livro 04 ~ 20 x 26 cm — 36 pgs
livro 05 ~ 23,5 x 30 cm — 36 pgs
Paper munken pure 90gr



A fragment of Dino Santos voice.

A fragment of Sérgio Couto voice.

A fragment of Eduardo Aires voice.

Fragments of João Martino and Miguel Almeida voices.

Thank you for appreciate!
Additional information cartaecarta.com