KO MUROBUSHI (JPN)
Ko Murobushi
 
Na década de sessenta, Ko Murobushi estudou com Tatsumi Hijikata, o coreógrafo japonês fundador do Butô. Em 1974, Ko fundou a revista Hageshii Kisetsu [temporada violenta], sobre Butô, e a companhia feminina de Butô Ariadone. Dois anos mais tarde fundou o grupo exclusivamente masculino, Sebi. Foi com a coprodução entre estes dois grupos, nomeada Le Dernier Eden – Porte de L’Au-de-La, estreada em 1978 em Paris, que Ko despertou o interesse dos europeus para o Butô. Desde então o seu trabalho prosseguiu aliando a vontade de aprofundar a ligação às raízes japonesas com a abertura para as influências de todo o mundo. Ko Murobushi tem participado em inúmeras coproduções internacionais, apresentando espetáculos e recebendo prêmios em todo o mundo. Em 2003 fundou a sua companhia Ko&Edge com três jovens bailarinos japoneses.
 
QUICK SILVER
Em Quick Silver, espetáculo seguinte a Edge, Ko Murobushi conduz seu corpo ao limite para penetrar num universo de dor e trevas. Seu corpo extraordinariamente musculoso, pintado inteiramente de prata, muda e se transforma, conjugando imagens de um homem que se move no extremo limite entre vida e morte. Quick Silver subtrai qualquer noção de movimento decorativo e mergulha, tanto o performer quanto o espectador, num atemporal mundo de catarse. 
Ko Murobushi apresentou pela primeira vez Quick Silver em novembro de 2005 como um trabalho em processo no Festival Kazuo Ohno no galpão da BankART NYK. A peça estreou no Die Pratze em Azabu, Tóquio, recebendo ótimas críticas pela sua apresentação de butô cheia de alma, como só poderia ser feito por Murobushi.
Em junho de 2006, Murobushi foi convidado a apresentar Quick Silver na Festival de Dança da Bienal de Veneza, na Itália. Tida como a principal apresentação do festival naquele ano, a peça novamente recebeu ótimos elogios internacionalmente. 
 
 
foto © Laurent Ziegler
 
 
 
 
Em uma época em que o butô perde seu senso de mistério e rapidamente se transforma em um tipo de entretenimento mundano, Ko Murobushi vai contra esta tendência atual com confiança. Em Quick Silver, seu corpo pintado de prata transpira energia infinita.
Assistir Murobushi mover constantemente seu corpo para evitar se fixar numa pose é como assistir a uma onda de pó de mercúrio movimentando-se por todo o palco. Com sua fisicalidade simplesmente formidável, Murobushi penetra na imaginação do público.
(Hideki Sukenari, Yomiuri Newspaper, Junho de 2006)
 
40 anos após a época do gênio do butô, Tatsumi Hijikata, não houve uma performance que transmitiu tamanha força ao interior do coração do espectador. Isto se deve ao fato de a grande prioridade do butô ter se tornado a técnica e o estilo orientados para a superfície.  Em tempos assim, um dançarino que encara seu  trabalho com tamanha paixão como Ko Murobushi torna-se uma raridade.
Em Quick Silver, Murobushi utiliza técnicas introduzidas por Hijikata, moldadas de modo a torna-las suas próprias.
A essência do butô é mergulhar nos campos da dança para a qual o Ocidente fechou os olhos.  Espero continuar a ver Murobushi mergulhar mais fundo nestes campos e influenciar a criação de mais peças de excelência como a desta.
(Tatsuro Ishii, DANZA, Agosto de 2006)
 
 
 
 
 
 
QUICK SILVER
Direção, Coreografia & Performance: Ko Murobushi 
Músicas: Luigi Nono, Osamu Goto e as vozes de Tatsumi Hijikata e Antonin Artaud
Produção: Ko & Edge Co. 
Estreia: Junho de 2006 / Azabu die pratze, Tóquio
 
 
 
 
 
 
RITOURNELLE
Durante a infância, ele costumava viver no litoral, onde teve duas experiências fundamentais: alguns momentos em que ele ficou perto do afogamento e as várias vezes que água era usada para lavar, em terra firme, o corpo das pessoas afogadas.
"Enquanto tentava morrer", escreve Ko Murobushi hoje, "eu comecei a dançar." Ele cresceu para se tornar um dos dançarinos de butô mais notáveis de nosso tempo. Um artista que se aproxima de maneira especial e radical da "dança das trevas" japonesa. Nesta obra, Murobushi atira seu corpo contra si, numa tentativa de agarrar e abandonar as várias formas de sua subjetividade múltipla. Uma desconhecida dança sem nome, com repentinos momentos alegres aqui e ali.
 
"Enquanto tentava morrer, eu comecei a dançar, então, hoje é o dia em que encontrarei o tigre. Não posso evitar caso ela me coma. E não me incomodaria se copulássemos. Nós também podemos apunhalar um ao outro. Eu pularei no céu vazio, carregando pedaços de carne mordida.
No momento em que jogo meu corpo, eu agarro outra forma. Do corpo que morre, outros eus que não podem ser nomeados senão como estranhos, são transformados em vibrações e depois em dispersão.
Eles estão distribuídos de maneira desigual, fluem irregularmente sem distinguir as bordas de ninguém, como se fossem desaparecer em qualquer lugar depois de capturar a memória do desconhecido. Poderíamos nós, enquanto processos limitados, enquanto vida efêmera, viver uma vida ilimitada?"
 
Ko Murobushi 
 
 
 
 
 
RITOURNELLE
Coreografia & Dança: Ko Murobushi 
Músicas: Rip, Rig + Panic, Osamu Goto, e Kiri Te Kanawa 
Produção: Ko & Edge Co. 
Estreia: Julho de 2013 / ImPulsTanz International Dance Festival, Viena
 
 
 
KO MUROBUSHI (JPN)
10
328
0
Published:

KO MUROBUSHI (JPN)

Ritournelle Quicksilver
10
328
0
Published:

Creative Fields