Na sequência de uma parceria entre a Universidade de Aveiro e a Fundação de Edite Costa Matos – Mão Amiga, de Sever do Vouga, surgiu a proposta de o Design contribuir para o desenvolvimento do Concelho, respondendo a alguns problemas colocados pela Fundação, fruto da percepção que esta tem, devido á sua intensa interação com a sociedade severense. Desta forma, um aluno de mestrado em Design, Pedro Fragoso Lopes, sob a orientação dos Professores Teresa Franqueira e Gonçalo Gomes, aceitou o desafio, e criou o projeto “Maneiras de Sever.”
 
Maneiras de Sever é um projeto de Design Estratégico em Sever do Vouga, que visa promover a valorização do património junto da sua população jovem.
 
Objectivando-se envolver todos os interessados no seu território, através de fotografia, som e video, criando novas formas de interpretar, posteriormente expostas em locais de interesse cultural no concelho, divulgando-o internamente e exteriormente.
Video de apresentação do Projeto Maneiras de Sever, antes de ser implementado
OBJECTIVOS
 
O objetivo principal deste projeto é a fixação dos jovens, associando-os à cultura local. Assim, serão apresentadas metodologias e as suas aplicações, visando a tentativa de resolver estes problemas sociais. Com o objetivo de criar interesse pela cultura Severense, desde a gastronomia ao estudo do património megalítico, passando pela contemplação da influência sazonal até à valorização do artesanato local, criando as condições necessárias para que estes jovens possam permanecer ou voltar ao concelho. Será desejável que, aqueles que voltarem após a escolaridade obrigatória, com novas informações e novas atitudes, demonstrem que aquele local não é apenas valorizado por ser um ótimo produtor de mirtílo, mas também pelo seu valor cultural, paisagístico e humano.
 
O ideal seria não só os jovens envolvidos neste projeto terem acesso à informação, mas também os Severenses que quisessem, através do seu envolvimento no projeto, se contactados pelos alunos, e através da visita de uma mostra no final de cada ano lectivo.
METODOLOGIA
 
Este projeto, tendo em conta os seus objetivos, situa-se no terreno do Design de Serviço e do Design Social, pois deseja-se criar algo que envolva as pessoas no seu território e criar meios para isso acontecer. Sabendo que existe um público-alvo primário bem definido – jovens do concelho de Sever do Vouga; e havendo um público-alvo secundário – os habitantes do mesmo concelho. Com esta definição dos públicos-alvo consegue-se identificar o foco onde intervir – o Agrupamento de Escolas de Sever do Vouga: neste agrupamento encontram-se todos os jovens que estudam entre os 10 e os 18 anos (ou mais) de todo o concelho.
 
Assim sendo, um método que se adequa bem a esta situação e a estes objetivos é o método de photo elicitation. A photo elicitation é uma técnica de recolher informação que resulta da combinação entre a captação de partes da realidade (através de fotografia ou vídeo) e a etnografia, que é um método de recolha de dados bastante usado na Antropologia. Isto origina meios para compreender melhor as perspetivas e as experiências das pessoas envolvidas num projeto, tornando-o assim mais “intenso e emocional” (G. Rose, 2007) ou seja, mais pessoal e gratificante.
 
Obtêm-se resultados sensivelmente diferentes utilizando, ou não, o photo elicitation, já que o cérebro utiliza diferentes zonas em resposta a informação verbal ou visual. Sendo a zona cerebral que processa a informação visual evolucionariamente mais antiga que a parte que trata da evolução verbal. As imagens estimulam conteúdos da consciência humana de origem mais elementar que as palavras, segundo D. Harper (2002). Utilizando estímulos verbais e visuais, não só se consegue recolher mais informação, como também informação qualitativamente mais diferenciada, e por isso mais rica. Tentando uma definição sintética de photo elicitation, que é uma forma específica de image elicitation, procurou-se a sua raiz etimológica. Esta reúne os campos semânticos de “evocação” e de “extração”. Daqui compõe-se um ato de pesquisa que consiste na recolha de testemunhos, estimulado pela introdução de informação visual contida em imagens. Esta técnica, iniciou-se no fim dos anos 50, e tem-se desenvolvido até aos nossos dias com trabalhos teóricos e de campo, propostos por Collier (Collier and Collier, 1986).
Mantendo a ideia criada por Collier, este projeto acrescenta à Image Elicitation e à Photo Elicitation um novo conceito: o de Sound Elicitation. Ou seja, os alunos envolvidos neste projeto, para alem de recolher imagens e videos sobre o tema em causa, captaram sons que possam reproduzir uma imagem mental.
A IMPLEMENTAÇÃO NA ESCOLA
AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SEVER DO VOUGA
(1ª abordagem)
Teaser feito para promover o projeto junto da comunidade escolar (em cima), ao mesmo tempo que foram colocados cartazes alusivos à apresentação do projeto na Escola (em baixo)
Deu-se então, a apresentação do Maneiras de Sever, aos alunos do 9º ao 12º ano desta escola
Realização dos workshops
(pesquisa, fotografia e som)
(2ª abordagem)
 
Por falta de tempo, e de recursos para continuar com este método, foi necessária uma segunda abordagem junto dos alunos, e que envolveu por isso, duas turmas de artes desta escola - 10º E e 12º D - juntamente com mais 3 alunos auto-propostos (12º ano)
Estes, realizaram trabalhos de fotografia, som e video, representando àreas de desenvolvimento de trabalho diferentes - Património Natural, Património Histórico, Cultura, Desporto, Actividades Económicas e Severenses.
 
EXPOSIÇÃO "MANEIRAS DE SEVER"
 
Por fim, a exposição Maneiras de Sever, que se realizou no CAESV, e para além de mostrar os trabalhos dos alunos envolvidos, pode contar também com uma componente cultural totalmente "Made in" Sever do Vouga!
Os trabalhos dos alunos podem ser encontrados nas redes sociais do projeto (links em baixo)
 
Links do Projeto
 
MARCA E MERCHANDISING
AGRADECIMENTOS
 
Resta-me dizer que tudo este projeto existiu, fruto da participação dos alunos que de alguma forma estiveram envolvidos, e muito devido à presença da Professora Darlene. Deixo os meus agradecimentos à Marta Bastos, ao Jorge Lopes e ao Luis Freitas, pois foram sempre os meus apoios em Sever do Vouga. Nunca esquecendo todos os Severenses que também contribuiram para o enriquecimento deste projeto, bem como a representante da Fundação Mão Amiga, Joana Seca - e por sua vez, também à presidente da Fundação D. Edite Costa Matos. 
Agradeço à minha orientadora Prof. Teresa Franqueira, e ao meu co-orientador Prof. Gonçalo Gomes.