[ intra ] chronicles of creation and other spits
                            
The ministry 's of vision.                                                                              
 
 
                                              Tryptic tintypes 180mm x 80mm wet collodium

Always annoyed me not being able to see my own head .
The situation was summed up in this: I saw the head of the others , but not see my head .
Everyone told me it was normal , but I have not settled on not see a thing , moreover, was mine. If I saw the head of the other from the mine, so I should saw my head as if only from the head of the other .
I began to find it all very strange and have a lot of headaches .
I finally decide matches to make an appointment . The doctor , after examining me and making me several questions and hearings , was finally able to present the diagnosis: after all I had was not having head. Had already appeared more cases like this to him, people who do not remember the moment were they lost the head, but still remain with many headaches .

                                                                          Antonio Pocinho in
                                                                  " Cold feet inside the head "
PT

O ministério da visão.

Sempre me irritou o fato de não poder ver a minha própria cabeça.
A situação resumia-se a isto: eu via a cabeça dos outros, mas não via a minha cabeça.
Toda a gente me dizia que aquilo era normal, mas eu não me conformei em não ver uma coisa que, ainda por cima, era minha. Se eu via a cabeça dos outros a partir da minha, então eu deveria ver a minha cabeça, quando mais não fosse a partir da cabeça dos outros.
Comecei a achar isto tudo muito estranho e a ficar com muitas dores de cabeça.
Acabei por me dicidir a marcar uma consulta. O médico, depois de me examinar e de me fazer várias perguntas  e auscultações, pôde finalmente apresentar o diagnóstico: afinal o que eu tinha era não ter cabeça. Já lhe tinham aparecido mais casos assim, pessoas que não se lembram do momento em que ficaram sem cabeça, mas que, ainda assim, continuam com muitas dores de cabeça.
 

                                                                               António Pocinho in
                                                                      "Os pés frios dentro da cabeça"

 

                                                              [ intra ] 
                                                     LUNAR CAUSTIC
                                                                     
                                 Tryptic tintypes 180mm x 80mm wet collodium
 
All language has these things
 
The man is required to name an object , an abstraction , and when you least expect it passes over the wing of the poetic spirit . For example the parchment , had marked north and south , the east, the west , and the result of this impasse came poetry of the winds rose. And instead of another dying man who had trafficked lead, and physical began to hesitate, to hesitate , and so it went something like this: that man , poor man, succumbed to lead poisoning . ( The spirit had appeared with the dark wing, dragging a dark cloak also . ) And when the architect was and what he called horsewoman perspective , there was no such surrealism around , now imagine the horse ( ridden by horsewoman ) , but the perspective were unaware that strange - female would be able to sit her athwart the saddle , gripping the mane.
All language has these things , even the English . So there 's an alchemist from the island - alchemist who rode salts - mixed acid and base , precipitated a soft white flakes thing rested on the bottom of the cylinder , and hence was born the temptation of a mated name of air and earth, sublime and there came a salt, peacefull in Portuguese with the insipid and chemical designation of " silver nitrate " knew manufacture in an English nimbus , blowing a puff while cold and hot , which required that the alchemist baptize him :
Lunar caustic .
(in this case the translator hesitates with bic in the air . )
For not only did silver nitrate or the author ask lunar caustic before the perverse sense that pull out there knew and bring to the top and gloriously avenge him an unfair subordination . If nitrate is lunar caustic and stain the skin black , says by letter which is lunar caustic and provides a corrosive act and the matter will be etched hauntings moon , have whimsical , will mean that , for sublime metaphor, the madhouse .
So it seems hopeless , since this transfer to the impure temptation : - draw with the English text that is written in Portuguese . And there in the beginning and the title will be English to tell us at the same time everything , open up the field and cover the caustic nitrate a lunar silver, will get all the chemistry and the madhouse ; 'll be lunar caustic .


                                                                                                             Adapted from : Lunar Caustic , Malcolm Lowry

 
 
 
PT

Toda a lingua tem destas coisas
O homem é chamado a nomear um objeto, uma abstração, e quando menos espera passa-lhe em cima a asa do espirito poético. Por exemplo o pergaminho, já tinha assinalados o Norte e o Sul, o este, o noroeste, e deste impasse veio resultar a poesia da rosa dos ventos. E doutra vez morria o homem que tinha traficado o chumbo , e o físico pôs-se a hesitar, a hesitar, e às tantas saiu-lhe uma coisa assim: que o homem , coitado, sucumbia de saturnismo. ( O espirito tinha aparecido de asa negra, a arrastar um manto também negro.) E quando foi do arquiteto e daquilo a que chamou perspetiva cavaleira, houve ali à volta surrealidades tais, que hoje imaginamos o cavalo (montado pela cavaleira), mas da perspetiva ficamos sem saber que estranha coisa-fêmea seria para podermos sentá-la de través na sela, agarrada à crina.
Toda a lingua tem destas coisas, mesmo a inglesa. Por isso um alquimista lá da ilha -alquimista que andava aos sais - misturou o ácido e a base, precipitou uma coisa macia e branca que assentava em flocos no fundo da proveta, e daí nasceu a tentação de um nome acasalado de ar e terra, sublime, e daí aconteceu um sal, sossegado em português com a designação insípida e quimica de "nitrato de prata", soube fabricar em inglês um nimbo, soprar um sopro ao mesmo tempo gelado e quente, que obrigava esse alquimista a baptizá-lo:
De lunar caustic.
(neste caso o tradutor hesita, com a bic no ar.)
Pois nem só de nitrato nem prata quis o autor pedir a lunar caustic, antes o sentido preverso que lá desemcantou e soube trazer ao de cimo e vingá-lo gloriosamente de uma injusta subalternidade. Se lunar caustic é nitrato e mancha a pele de negro , diz à letra que é càustico e lunar, prevê um ato corrosivo e a matéria causticada vai ter assombrações de lua, ter lunáticos; quer dizer que será , por metáfora sublime, o manicómio.
Por isso mesmo parece irremediável, já, esta cedência à tentação impura: - de chamar com inglês o texto que se escreve em português. E ali no início e no título vai ficar o inglês para nos dizer ao mesmo tempo tudo, abrir-se de campo e abarcar o nitrato cáustico de uma prata lunar; vai ficar toda a química e o manicómio; vai ficar lunar caustic.  


                                                Adaptado de: Lunar Caustic, de Malcom Lowry

 
Cynara cardunculus
[ CARDO#234 ]
triptic tintypes 4X5 wet collodion
All Rejecters 
multi-formate tintypes

All Rejecters 
multi-formate tintypes
[ intra ] chronicles of creation and other spits
10
453
0
Published:

[ intra ] chronicles of creation and other spits

in...
10
453
0
Published:

Creative Fields