Nos correios de Sempre Noite, Trabalhava um pequeno carteiro... E mesmo sendo pequeno, era o único a trabalhar o tempo inteiro
Saía para trabalhar sempre com as cartas menores... Mas para entrega-las ele sempre foi um dos 
melhores.
Certa noite uma entrega muito importante deveria ser feita... E pelo tamanho da carta, o pegueno carteiro era a escolha perfeita.
Para entregar a carta, ele saiu em uma noite de muito vento... não se importando com o tempo violento.
Em fim, depois de algum tempo o carteiro viu uma grande mansão... Era o destino ao qual ele encontrou com muita precisão.
Ao se aproximar percebeu que o portão estava aberto... Nas sombras, dois olhos brilhantes mostravam que o perigo era certo.
Atraz do carteiro, saiu correndo um cão em disparado... De tanto correr, logo o pequeno foi ficando cansado.
Em um galho de árvore, o pequeno se pendurou... E de uma tremenda mordida, em fim, escapou.
Em cima do galho ele esperou o cão adormecer... para o chão ficar seguro, e da árvore, poder descer.
O galho não era firme, e o pequeno caiu... Mas, mesmo com o susto, nenhum medo de se machucar ele sentiu
Pois, por sorte o pequeno carteiro era um gato... Por isso caiu em pé e nenhum som saiu de seu sapato
E mesmo com tanto atraso... Entregou a importante carta no prazo
Sempre Noite
3
106
0
Published:

Sempre Noite

Projeto acadêmico para desenvolvimento de um livro infantil. História e ilustração de minha autoria
3
106
0
Published: