Showcase & Discover Creative Work Sign Up For Free
Hiring Talent? Post a Job

Bēhance

"Anti Crise" Chair

  • 8756
  • 594
  • 30
  • Anti Crise Chair
    Emotion Driven Design 
  • In an era marked by the economic crisis we are pushed to analyze what is our role as designers in the creation of change and definition of new habits.
    The chair Anti Crise, is a chair beyond the functional / ergonomic and communicates it self as an object embedded in cultural and social values. Here the chair re thinks the act of saving and connect it to a traditional and daily use object. In this way, juts like the name suggests, AntiCrise promotes the act of saving in a playful and interactive process which was carefully designed in 3 sequential steps:
    First through the traditional money pot, here reinterpreted; The second element plays with the visual and tactile notion and feeling of “emergency”, referencing it to pre existing emergency equipments. This symbolic suggestion allows communicating the limited / emergency only access to the saved up money. In third, the usual gesture of breaking the money pot is replaced by a new material personality. Here the act becomes material driven where the chair is cut using a handsaw - integrated element of the design.

    Anti Crise is an experimental object, a furniture piece played as a manifest.

    ___

    Numa época marcada pela crise económica somos obrigados a analisar qual o nosso papel enquanto designers na criação de mudança e na definição de novos hábitos.
    A cadeira Anti Crise assume-se como uma cadeira para além do funcional e ergonómico e comunica-se como um objecto embebido em valores culturais e sociais. Integralmente, a cadeira pretende reinterpretar o acto de poupar e ligá-lo a um objecto quotidiano, tradicional e de uso diário. Deste modo, tal como o nome indica, a cadeira Anti Crise promove o acto de poupar num processo lúdico e interactivo, tentando assim criar uma postura contrária à da crise.
    Aqui o processo interactivo foi especificamente desenhado em 3 frentes sequenciais. A primeira através do elemento mealheiro aqui re-intrepertado. O segundo elemento reporta para a noção e sentimento visual e táctil de“emergência” fazendo referência a equipamentos de emergência. pré existentes. Esta sugestão simbólica permite assim incutir a premissa de acessibilidade limitada (só em casa de emergência) ao uso do dinheiro poupado. Na terceira o gesto“habitual” de partir o mealheiro transporta-se para uma nova personalidadematerial. Aqui o acto torna-se derivado do material em que a cadeira passa a ser cortada com uma serra, elemento integrado na cadeira

    Anti Crise assume-se como um objecto duplamente funcional;uma peça de mobiliário e um manifesto marcante pela sua mensagem e abordagem.